Sobre

“Eu sou um apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior”. Assim como diz a música, eu não sou uma pessoa de importância nenhuma para o mundo. A úncia coisa que eu tenho para contribuir é o meu típico sonho de jornalista latino-americano: comunicar para o mundo e tornar público assuntos que possamos contemplar e ter ainda mais vontade de viver.

Carrego comigo a bagagem de um jornalista experiente, que em algum momento da vida, se iludiu com as redações e hoje quer investir em mídias mais democráticas com o sonho de criança de construir um mundo melhor.

Com o coração aberto,

José Guimarães.