Exercícios físicos são uma arma eficiente contra os sintomas do diabetes

A atividade física, hoje, é aceita por todas as sociedades como fator essencial no combate a varias doenças freqüentes na era moderna, entre elas o diabetes

Os efeitos benéficos da atividade física são muitos e importantíssimos para a qualidade de vida destas pessoas. Porém, para a prescrição dos exercícios realmente benéficos e eficazes é preciso conhecer a conseqüência principal da doença , assim como as secundárias mais importantes.

De forma geral, o problema principal está no metabolismo dos açucares , que não encontram entrada para seus depósitos naturais e permanecem em altas concentrações na circulação sanguínea causando sérios danos vasculares .

Os exercícios aeróbicos – que até pouco tempo atrás eram os únicos aceitos pelos profissionais da saúde no combate aos sintomas do diabetes -, não deixam de ter suas adaptações benéficas , tanto cardiopulmonares quanto no próprio metabolismo dos açucares. Mas na verdade são os exercícios resistidos que produzem as adaptações mais eficazes em relação a este metabolismo , agilizando o processo de queima e reposição dos açucares (intramuscular) e também em relação à proteção cardiovascular , poupando todo o sistema, mas principalmente as paredes arteriais que tendem a uma degeneração mais rápida no caso dos diabéticos.

Por ser o único tecido incinerador de calorias e depósito natural para os açucares, os músculos , que também vão ajudar no combate aos sintomas secundários da doença (como obesidade, colesterol etc.) , devem ser estimulados com certa freqüência , evitando o acentuado catabolismo muscular – outro sintoma secundário do diabetes. Estes tipos de exercícios além de mais eficazes, a médio e longo prazo, alcançam seu objetivo com sessões de treinamento relativamente curtas, e de forma mais segura para a saúde – quando comparadas aos exercícios aeróbios.

Estudos constatam que até algumas horas após os exercícios resistidos os músculos ainda estão mais sensíveis à ação da insulina e conseguem captar o açúcar circulante com maior facilidade. Alguns estudos mais ousados sugerem que os músculos , logo após realizarem exercícios anaeróbios intensos , encontram outros “caminhos” para guardar o açúcar circulante , independente da presença de insulina.

Os exercícios resistidos chegaram , definitivamente , para fazer parte do programa de atividade física , não só dos diabéticos mas de todos os grupos especiais. De qualquer forma , estes não vieram para substituir os exercícios aeróbicos , e sim , para unirem-se a eles. A dobradinha , musculação e aeróbicos é sempre o mais indicado , mesmo para grupos especiais. A diferença esta na intensidade e na porcentagem de participação de cada um no total das atividades. Na verdade, as duas capacidades físicas se completam , nos proporcionando o que a atividade física tem de melhor para oferecer quando o objetivo é saúde.

Claro que alguns cuidados especiais devem ser tomados a fim de evitar sobrecargas desnecessárias e prejudiciais para os diabéticos. Assim, para iniciar esta atividade física específica procure um professor de educação física capacitado que possa argumentar sobre seus métodos de treinamento e trabalhar em conjunto com seu médico.

A melhor amiga do diabético continua sendo a rotina , já que seu controle , realmente eficaz , depende de vários fatores como , dose de insulina , local de aplicação , horário da aplicação , horário das refeições , tipo e quantidade de alimento , tipo e quantidade de exercícios físicos .

Construa sua “rotina saudável” e deixe a atividade física fazer parte dela . Desta forma , bem provavelmente , você só conhecerá os indesejáveis sintomas do diabetes através de artigos e palestras .

O melhor médico para seu caso é você mesmo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *